Últimas Notícias | 19 de novembro de 2021

Ano 14, Edição 075.


“Dar o exemplo não é a melhor maneira de influenciar os outros. É a únicaDar o exemplo não é a melhor maneira de influenciar os outros. É a única.” (Albert Schweitzer)


Leia agora em nosso boletim:


Você passa pela vida tornando as pessoas um pouco mais parecidas com você

DASA compra laboratório na Argentina

Fábio Faria anuncia parceria com Musk para levar internet para a Amazônia

Americanos compram a gaúcha Poatek

Rússia garante fertilizantes ao Brasil

Você passa pela vida tornando as pessoas um pouco mais parecidas com você

Quando duas pessoas se encontram pela primeira vez, elas tendem a ver uma à outra como tendo uma personalidade semelhante à sua própria. Assim, uma pessoa amigável e sociável tenderá a ver os outros como amigáveis e sociáveis; alguém que seja tímido e reservado, agirá inicialmente como se a outra pessoa também fosse assim. No mundo da psicologia, isso é conhecido como "efeito assumido de semelhança". Os psicólogos levantam a hipótese de que as pessoas usem suas próprias personalidades para preencher as lacunas naturais quando têm que lidar com alguém que não conhecem bem.




Reciprocidade emocional - Agora, uma equipe de psicólogos propôs, testou e encontrou apoio experimental para outro fator que contribui para esse comportamento: As pessoas tendem a retribuir o comportamento umas das outras, o que confirma aquela concepção inicial de semelhança. E o efeito mais interessante disso é que é mais provável que uma pessoa que age de forma amigável e sociável receba o mesmo em troca. Em outras palavras, as pessoas trazem temporariamente à tona no outro um comportamento que é semelhante à sua própria personalidade, veem esse comportamento e inferem que é assim que a outra pessoa é. O estudo também encontrou suporte para um efeito de dissimilaridade: Pessoas assertivas e dominantes geram nas outras um comportamento passivo, e pessoas passivas geram um comportamento assertivo nas outras. A equipe batizou o fenômeno de "efeito de similaridade eliciado pelo observador".


Mudando o mundo pelo exemplo - "A ideia é que as pessoas influenciam umas às outras quando interagem. Elas trazem à tona na outra pessoa comportamentos que são em alguns aspectos previsivelmente semelhantes e, em outros, previsivelmente diferentes," disse o professor Sanjay Srivastava, da Universidade de Oregon, nos EUA. Embora seja uma pesquisa inédita em psicologia, realizada em pleno século XXI, o resultado reafirma um saber milenar, conhecido como "poder do exemplo": Você não muda as pessoas pelo discurso, você muda as pessoas pelo exemplo. "Você passa pela vida tornando as pessoas um pouco mais parecidas com você.” "A implicação é que, quando você tem uma interação, você torna as pessoas mais parecidas com você e você mesmo vê isso. Isso se acumula com o tempo. Sua visão de mundo de como as pessoas são baseia-se em sua própria personalidade por causa do que você revela nelas," concluiu Srivastava.


(Texto extraído do artigo científico entitulado “Is perceived similarity more than assumed similarity? An interpersonal path to seeing similarity between self and others”, dos autores Bradley T Hughes, John Flournoy, e Sanjay Srivastava, publicado no Journal of Personality and Social Psychology)


DASA compra laboratório na Argentina

Com os processos de M&A à todo vapor no setor de saúde, a DASA, empresa que engloba laboratórios de análises clínicas, anunciou a aquisição da totalidade das ações da Matri, empresa que desenvolve serviços relacionados à medicina ocupacional e à gestão integrada de saúde. Na noite de quinta-feira, 18, a empresa também anunciou a compra da argentina Laboratório de Medicina, com sede em Buenos Aires. Segundo a DASA, a empresa argentina "tem foco em prestação de serviços de laboratório de análises clínicas e seu núcleo técnico operacional acrescenta maior capacidade de processamento, complementando as atividades da Diagnósticos Maipú". (Portal Exame.invest)


Fábio Faria anuncia parceria com Musk para levar internet para a Amazônia

Na madrugada da terça-feira, 16. o ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou em sua conta do Twitter que busca parceria com o bilionário sul-africano Elon Musk. De acordo com o ministro, o intuito é conectar escolas rurais e proteger a Amazônia. O ministro está de passagem pelos Estados Unidos, onde se encontrou com o representante da SpaceX. Elon Musk é mundialmente conhecido por fundar e liderar as empresas SpaceX e a Tesla, líder na fabricação de de carros elétricos. A Spacex é uma companhia espacial com cerca de 4.500 satélites que orbitam em baixa altitude. A categoria inclui equipamentos que ficam em órbita a até 2.000 quilômetros de altitude, numa nova modalidade para fornecer internet em áreas remotas. Segundo o ministro brasileiro, a parceria com a empresa espacial também irá ajudar na preservação da Amazônia. Faria informou que a ideia é que a cobertura de internet no local facilite o monitoramento realizado pelo governo.


O projeto Starlink de Musk - Durante a visita aos Estados Unidos, Faria conheceu a fábrica da SpaceX, localizada na Califórnia, e se reuniu com a diretora de operações da empresa, Gwynne Shotwell. O encontro com Musk aconteceu no Texas. A empresa de Musk pretende investir 30 bilhões de dólares em um projeto chamado Starlink, que está colocando satélites em órbita para fornecer internet a quase 70 mil usuários. A SpaceX fechou parceria com o Chile em julho para disponibilizar internet para duas cidades do país. Para fazer a conexão, a empresa distribuiu kits de recepção de sinal de satélite, que permitirão serviços gratuitos de acesso por um ano. O custo do projeto deve ser absorvido pelos municípios.


Encontro com concorrente de Musk -O ministro também se encontrou com representantes da empresa britânica OneWeb, que atua no mesmo setor da SpaceX. O encontro aconteceu do última quinta-feira durante a COP26. Segundo o Ministério das Comunicações, a permissão para o uso de satélites de baixa órbita é um processo administrativo de coordenação realizado pela ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações. Tanto a SpaceX quanto a OneWeb já pediram licença para a ANATEL para operar no país. (Agência O Globo)

Americanos compram a gaúcha Poatek

A Poatek, uma empresa gaúcha de desenvolvimento de software, acaba de ser adquirida pela empresa americana Willowtree, maior e atuante no mesmo ramo. Fundada em Porto Alegre em 2015, a Poatek tem 160 funcionários espalhados por Porto Alegre, São Paulo, Lisboa e Miami, e foca principalmente no mercado internacional. A Willowtree é uma empresa com cerca de 800 funcionários em quatro localizações nos Estados Unidos e um faturamento estimado de 120 milhões de dólares para 2021. As empresas não revelaram o valor do negócio, dizendo apenas que ele é a “maior aquisição em valores de uma empresa gaúcha da área de tecnologia”. Vale lembrar que a Locaweb pagou em abril 524,3 milhões de reais pela Bling, uma companhia de software de gestão na nuvem para pequenas e médias empresas sediada em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha.


O que diz a Willowtree - “A busca de talentos é nossa prioridade número um nesse projeto de expansão e o time da Poatek se destacou em nossa pesquisa feita com outras companhias da América Latina por somar conhecimento técnico e grande capacidade no desenvolvimento de novas ideias”, afirma o CEO da WilliowTree, Tobias Dengel. A WillowTree tem alguns clientes de peso, incluindo nomes como Domino’s, PepsiCo e ABInBev…


A proposta da Poatek - A Poatek teve a proposta desde a fundação de ter um time diferenciado, definindo seu modelo como uma “boutique de desenvolvimento”. É um pitch mais ou menos frequente para as empresas no segmento, que normalmente querem se dissociar do conceito de “fábrica de software”. A Poatek tinha algumas coisas a favor do seu discurso, entre elas o perfil dos seus fundadores Cristiano Franco e Lando Kravetz. Kravetz é um gaúcho que foi head de vendas para América do Norte de serviços de infraestrutura da Capgemini e está baseado hoje em Miami. Já Franco fez carreira na Dell, onde entrou como trainee e passou 10 anos, chegando a ser gerente de programa sênior de TI. O CEO da Poatek foi pesquisador no programa de VR da Universidade de Lausanne, na Suíça, além de professor de Ciência da Computação na Unisinos. Franco disse ter tido a ideia para a empresa ao perceber que progredir profissionalmente envolveria deixar o país, uma opção que ele não estava disposto a considerar.


Mais sobre a Poatek – A empresa deveria ser uma opção para profissionais com o perfil acima no Rio Grande do Sul, atraindo profissionais das operações de desenvolvimento de software de multinacionais como HP, Dell e SAP e pagando bons salários por meio de contratos obtidos no exterior. “Nossa motivação ao fundar a empresa foi possibilitar aos engenheiros brasileiros as chances de estarem em projetos interessantes e motivadores sem precisar sair do país. É uma companhia de engenheiros para engenheiros. Reunimos os melhores talentos daqui e os mostramos para o mundo. E a aquisição é o reconhecimento disso”, comenta Franco. Em 2018, a empresa deu uma tacada grande, contratando David Shpilberg, um dos fundadores da Braxis, para o cargo de “chairman” da Poatek nos Estados Unidos. A Poatek não chega a abrir os nomes dos seus clientes, falando apenas bancos e fundos de investimentos, cassinos em Las Vegas e um dos maiores aeroportos do país. (Portal Fusões & Aquisições com informações do site Baguete)


Rússia garante fertilizantes ao Brasil

Recentemente a Rússia anunciou que iria limitar a exportação de fertilizantes como forma de manter abastecido o mercado interno e os agricultores locais. A medida vale já a partir de dezembro e estabelece cotas para as exportações de fertilizantes complexos em 5,35 milhões de toneladas e de nitrogenados em 5,9 milhões. O Brasil seria diretamente impactado, uma vez que, o país importa daquele país cerca de 20% dos nitrogenados e 29% do cloreto de potássio. Para tratar da situação a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, reuniu-se na quarta-feira, 17, com autoridades e empresários russos, em Moscou. Todos garantiram que não vão deixar de cumprir os contratos de fornecimento de fertilizantes ao Brasil, com possibilidade de aumentar o volume de exportações. "Tivemos aqui a garantia, tanto do governo russo quanto das empresas de fertilizantes, de que nós não teremos problemas com a entrega de fertilizantes, tanto de potássio quanto dos fosfatos", anunciou a ministra.


Russia assegura o fornecimento - O Ministro do Desenvolvimento Econômico da Rússia, Maksim Reshetnikov, assegurou a manutenção do fornecimento ao Brasil de fertilizantes de potássio e fosfato e, se possível, aumento de exportações para a próxima safra. “O ministro reforçou que o Brasil é um parceiro estratégico e que podemos ficar absolutamente tranquilos com o fornecimento de potássio e fósforo”, comemorou Tereza Cristina, após o encontro. A ministra brasileira se reuniu com o vice-presidente da produtora global de fertilizantes minerais complexos Acron, Vladimir Kantor, que garantiu o aumento de ao menos 10% das exportações de fertilizantes para o Brasil. Ele também informou sobre o prosseguimento das negociações para a aquisição dos ativos da Petrobras da UFN-3- Unidade de Fertilizantes Nitrogenados, em Três Lagoas. MS. O CEO da empresa russa PhosAgro, Andrey Guryev, também garantiu o fornecimento de fertilizantes ao Brasil. “O Brasil pode contar conosco como parceiro para garantir fornecimento de fertilizantes ao Brasil", disse Guryev à ministra Tereza Cristina. A holding química russa é produtora de fertilizantes, fosfatos e fosfatos para alimentação animal, sendo um dos principais fabricantes mundiais de fertilizantes fosfatados.


Produzir fertilizantes no Brasil - A ministra Tereza Cristina ouviu do CEO da EuroChem, Vladimir Rashevskiy, planos de investimentos da empresa no Brasil para aumento da produção nacional de fertilizantes. A EuroChem é líder mundial na produção de fertilizantes nitrogenados, fosfatados e potássicos. Na quinta-feira, 18, Tereza Cristina se reuniu com o CEO da Uralkali, produtora e exportadora russa de fertilizantes à base de potássio. (Portal AGROLINK)



Upbeat Consulting

Performance em transições de carreira, de informação e de negócios.

+55 11 5199 2919 | www.upbeatconsulting.net


Vamos com tudo!


Rodrigo N. Ferraz | rodrigo@upbeatconsulting.com.br

Ruben D.F. Ferraz | r.ferraz@upbeatconsulting.com.br


Tags: #serviços #tecnologia #alimentos #varejo #aconselhamentoparaqualquermomentodecarreira #vagasdifíceis #headhuntingvagasdifíceis #outboundhiring #boletimupbeatmdc #upbeatconsulting #energiasalternativas #vamoscomtudo #agronegocios #marketingparamarcasempregadoras