Buscar

Últimas Notícias | Ano 12 | Edição 061


Headhunter sp, Headhunting brasil, Executive Search, Consultoria Empresarial, Gerenciamento de Carreira, Aconselhamento Profissional SP, M&A Brazil, SEO


Mercado masculino de beleza movimentará 43,6 bilhões de dólares. Essa e outras notícias?


Leia em nosso boletim: www.upbeatconsulting.net/blog


" Toda a beleza do ser humano consiste em se tornar algo melhor do que se foi .(Stefan Zweig, escritor austríaco)



Mercado masculino de beleza movimentará 43,6 bilhões de dólares

O público masculino deve ser um dos principais motores do segmento de beleza em nível global. Só na categoria de cosméticos para homens, a expectativa é duplicar o crescimento para US$ 43,6 bilhões até 2020. O Brasil espera atingir um movimento de 50 bilhões de reais neste ano e se consolidar como o quarto maior mercado do mundo. Os dados fazem parte de uma pesquisa do Grupo Croma, que revela uma mudança nos hábitos de consumo desse grupo em relação aos cuidados com o corpo e aparência. “Esses números devem-se ao fato de que as novas gerações apresentam maior poder de compra e estão mais atentas às necessidades de autocuidado, que antes se limitavam a itens básicos como xampu e sabonete”, afirma Edmar Bulla, CEO do Grupo Croma. Os perfumes ainda lideram o ranking de produtos de uso e intenção de uso. Do total de entrevistados, 65% afirmaram que usaram esses artigos nos últimos 12 meses. Em segundo lugar vêm os xampus e condicionadores, com 63% das menções.


Internet aumenta as vendas de cosméticos masculinos - A propagação rápida das informações e as compras pela internet têm auxiliado o crescimento do público masculino na indústria cosmética. Apesar de não estar no topo no ranking do segmento, a categoria de cosméticos para a barba movimenta boa fatia das vendas – 40% dos entrevistados consumiram produtos do gênero nos últimos 12 meses, e outros 15% pretendem começar a utilizá-los nos próximos 12. “Artigos multifuncionais, como cremes faciais, costumam despertar o interesse dos consumidores”, ressalta Bulla. Segundo o executivo, os homens aceitam pagar o preço por todas essas qualidades. “Os produtos antipoluição também registram viés de alta, assim como os para proteção solar, antiestresse e contra a luz azul dos dispositivos eletrônicos”, finaliza. (Portal Panorama Farmacêutico)


Home office é um dos benefícios mais procurados

O home office, ainda que não esteja disseminado na cultura da maioria das empresas, é reconhecido como uma tendência mundial e vem, aos poucos, ganhando espaço. Uma pesquisa global da consultoria de recursos humanos Hays comprova o avanço do trabalho remoto no mundo. Em 2017, 35% das organizações permitiam que seus funcionários trabalhassem à distância. Em 2018, esse número subiu para 51%. Em outro levantamento, com 1.121 profissionais que trabalham em pequenas e médias empresas no Brasil, feito pela empresa Convenia, startup com soluções para automatização do departamento pessoal, e a Ahgora, que oferece soluções em nuvem para gestão de pessoas e controle de acesso, 36,5% dos respondentes afirmaram que as empresas onde trabalham têm política de trabalho remoto. Entre os participantes da pesquisa, 58,8% gostariam de atuar no formato home office e, de acordo com 47,5% deles, a empresa em que trabalham pretende implementar a política de trabalho remoto.


Dificuldades na implantação do trabalho remoto - Entre as empresas que já oferecem o home office, em 42,9% delas somente alguns departamentos têm acesso ao benefício e em 17,1%, somente cargos de gestão. Em 26,6% é para todos. Ainda assim, 67,8% das companhias que permitem o trabalho à distância exigem que os colaboradores frequentem o escritório todas as semanas. Para os entrevistados, a maioria executivos da área de recursos humanos, as principais dificuldades enfrentadas no processo de implementação do home office são o controle das horas trabalhadas, a manutenção da produtividade e o estabelecimento da cultura corporativa.


Rendimento de trabalho de nível elevado - Ainda que a produtividade seja uma preocupação das organizações, somente 3,5% dos participantes da pesquisa que já implementaram o trabalho remoto identificaram rendimento abaixo da média entre colaboradores no trabalho remoto, enquanto que 52,1% disseram que o rendimento está alto. A pesquisa feita no Brasil procurou saber das empresas que já implementaram o home office, como foi o processo.


Principais regras para o trabalho remoto

  • Horário para reunião do time

  • Estabelecimento de metas semanais e mensais

  • Horários fixos

  • Revezamento de presença

  • Entrega de relatórios de atividades

Entre as empresas que permitem home office, 83,7% fornecem computadores aos colaboradores que trabalham à distância, 39,5% custeiam as despesas com internet e 13,6% subsidiam a aquisição de cadeiras ergonomicamente adequadas.


Como os funcionários que trabalham em casa interagem com o escritório – As empresas se utilizam das seguintes formas ou sistemas de interação com seus funcionários que trabalham em casa:

  • Skype (56,2%)

  • Sistema próprio das empresas (33%)

  • Hangout (31,5%)

  • Slack (17,6%)

  • Appear.in (9,3%)

  • WhatsApp (7,4%)

Home office é benefício importante - Oferecer a possibilidade de fazer home office é uma tendência e uma forma de atrair talentos. Voltando à pesquisa da Hays, 57% dos homens entrevistados consideram o benefício importante ao optar por uma vaga e entre as mulheres esse número sobe para 72%. De acordo com outro levantamento da consultoria global, a possibilidade de trabalhar de casa é o quinto benefício mais valorizado pelos profissionais atualmente.


Benefícios mais valorizados por colaboradores: Plano de saúde (91%), Vale alimentação/refeição (73%), Flexibilidade de horário (72%), Plano odontológico (57%), Home office (53%), Seguro de vida (51%), Auxílio de cursos de idiomas (48%), Auxílio para curso superior (47%).

(Portal Consumidor Moderno)


Cinco coisas a saber na hora de contratar a Geração Z

A Geração Z está começando a ingressar no mercado de trabalho e como as anteriores possui características únicas. São tecnologicamente experientes, flexíveis e tendem a aprender coisas sozinhos com muita rapidez. Desde a infância, os Centennials experimentam uma agenda lotada, vão da escola às aulas de inglês, música e esporte. Tudo isso resultou em currículos impressionantes e completos para pouca idade. Além do mais, é uma geração que valoriza a independência financeira, é autêntica e criativa, o que os deixa com aptidões nativamente empreendedoras. Segundo uma pesquisa da GEM-Global Entrepreneur Monitor Brasil 2018, 22,2% desses jovens fazem parte do grupo de empreendedores iniciais no Brasil.


Pensando em maneiras de obter vantagens sobre todas essas características e ajudar a criar uma força de trabalho capaz de executar com sucesso os objetivos empresariais listamos cinco coisas a saber antes de contratar a nova Geração Z:


1) Para eles a tecnologia é tão natural quanto respirar

Antes mesmo de serem alfabetizados, os Centennials já utilizavam seus dispositivos de tecnologia. Fora que uma coisa é fato: essa tecnologia é cada vez mais móvel. Para eles o termo “nuvem” não é mais só um fenômeno da natureza que origina a chuva, é um modelo de armazenamento que justifica o funcionamento do mundo. Antigas tecnologias como o DVD, rádio e telefone fixo são praticamente relíquias e podem ser todas aglomeradas em um pequeno smartphone, por exemplo.


2) Várias tarefas podem ser executadas ao mesmo tempo

A geração Z está acostumada a receber a todo o momento uma ampla gama de estímulos. São inundados por informações, aplicativos, softwares e sites. Essa mudança repentina de acontecimentos faz com que desenvolvam cada vez mais a habilidade de executar diversas atividades ao mesmo tempo. Essa característica pode ser uma faca de dois gumes: ao mesmo tempo que cria versatilidade, tem um custo alto que é o baixo foco e concentração.


3) Não gostam de escritórios

Eles esperam oportunidades mais flexíveis e abominam a ideia de estarem ancorados o dia todo a uma mesa de escritório. Uma pesquisa realizada pela Citrix.com apontou que 40% dos profissionais não aceitariam um emprego se ele não oferecesse opções de trabalho flexíveis. Isso não significa trabalhar na praia, mas sim estar fora de um ambiente de trabalho muito tradicional. No estudo, essa preferência na hora de buscar um emprego foi ainda maior entre os trabalhadores da geração Z.


4) São bons em trabalho de equipe

Os Centennials são altamente sociais, buscam o compartilhamento de ideias e não gostam de trabalhar sozinhos. Preferem resolver problemas de forma colaborativa, tanto no local de trabalho, quanto na vida pessoal.


5) Praticidade é o lema

Para essa geração a resposta para qualquer coisa sempre veio com alguns cliques na internet. Eles esperam que as coisas sejam simples e eficientes no trabalho. Desta forma, quanto mais interações, tarefas e ideias forem digitalizadas e entregues em seu dispositivo preferido, melhor.

(Portal Consumidor Moderno)


Criada MP do Agro para financiar safra com dinheiro privado e CPR dolarizada

O governo apresentou na última segunda-feira, 01 de outubro, a MP do Agro, com medidas ligadas ao crédito e financiamento de dívidas de produtores rurais.. A iniciativa envolve a ampliação do volume de créditos disponíveis para o agronegócio, que facilitará os financiamentos por meio de fundo solidário para a renegociação de dívidas e para construção de armazéns. Com o fundo, a expectativa é que haja aporte inicial de R$ 5 bilhões. De acordo com o secretário de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, haverá expansão de financiamento por meio do mercado de capitais. Com a MP, outros agentes financeiros, além dos bancos, poderão financiar a produção.


O FAF - Fundo de Aval Fraterno - Entre as medidas, a MP cria o chamado FAF - Fundo de Aval Fraterno que permitirá aos produtores obter garantia solidária para renegociar eventuais dívidas de operações de crédito rural. Segundo o governo, a iniciativa visa reduzir a inadimplência por meio de uma espécie de credito, no qual a responsabilidade pelo pagamento é dividida entre os integrantes do fundo. O fundo poderá ser criado com a participação de dois a dez produtores. Cada produtor pode entrar com até 4% do financiamento total solicitado. Também podem participar credores e até instituições financeiras.


FAF servirá como garantia - A ideia é que o fundo sirva de garantia subsidiária para o pagamento da dívida, ou seja, depois que as garantias reais ou pessoais do devedor sejam acionadas. A medida ajudaria a reduzir as taxas de juros dos empréstimos, uma vez que haveria certeza de pagamento no caso de inadimplência. O principal objetivo do FAF é ampliar o acesso ao crédito rural. Com a criação do FAF, os produtores rurais terão acesso a garantias adicionais para quitar dívidas do crédito agrícola e reestruturar seus negócios. Para operacionalização do FAF, os produtores devem formar associações. O aval coletivo será dado pelos produtores associados, por integrantes da cadeia produtiva, como fornecedores de insumos e beneficiadores de produtos agropecuários, e pelas instituições financeiras.


Atração para os bancos - “Se participamos do mesmo FAF e você deixa de pagar, o fundo comum fica comprometido. A ideia é que é mais difícil ficar inadimplente com seu vizinho do que com o banco”, disse o subsecretário de Política Agrícola e Meio Ambiente da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, Rogério Boueri. “Temos a convicção de que os bancos vão olhar esses produtores com outros olhos”, acrescentou.


Garantia de parte dos imóveis pelos proprietários de terras - Outra medida que visa reduzir o custo dos empréstimos é voltada para grandes proprietários de terra e prevê que o produtor possa oferecer como garantia uma ou várias partes do imóvel. A proposta reduz a burocracia para realizar a operação. “Se o produtor tem uma propriedade de R$ 10 milhões e quer dar a propriedade como garantia em um financiamento de R$ 500 mil, ele trava a propriedade. O que estamos propondo é que o produtor possa repartir essa propriedade”, disse Boueri.


Crédito com as CPRs - A MP também permite a utilização de diversos títulos agrícolas para expandir o financiamento do agronegócio. A ideia é buscar o dinheiro no mercado de capitais, usando entre outros títulos a CPR - Cédula de Produto Rural. Outro ponto é a subvenção econômica para que empresas que produzem cereais possam financiar obras, adquirir máquinas e equipamentos necessários à construção de armazéns e a expandir a capacidade de armazenagem de grãos. O Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Eduardo Sampaio, considerou a medida provisória um passo muito importante para incrementar o crédito privado para o agronegócio brasileiro. “A possibilidade de emissão do título em moeda estrangeira, associada a melhorias nas garantias e na transparência da CPR, devem carrear mais recursos externos para financiar as atividades dos agricultores e pecuaristas.” Espera-se aumentar a oferta de financiamento privado a custos compatíveis para a atividade rural. Segundo Sampaio, o crédito rural oficial "está ficando muito pequeno para a agricultura brasileira". "Precisamos do mercado de crédito privado para atender às necessidades do setor”, completou.


Patrimônio de Afetação - A medida provisória permite que o produtor rural desmembre sua propriedade para dar como garantia em operações de crédito. Atualmente, o produtor precisa oferecer todo o imóvel como garantia, que, por vezes, vale mais que o valor do financiamento. O chamado patrimônio de afetação dará maior segurança ao sistema financeiro na concessão de crédito aos produtores rurais, ampliando o acesso aos recursos financeiros e permitindo melhor negociação do financiamento. São preservados os direitos de terceiros, a pequena propriedade rural, as áreas inferiores ao módulo rural e os bens de família.


CIR - Cédula Imobiliária Rural - Como desdobramento do patrimônio de afetação, é criada a CIR - Cédula Imobiliária Rural, que será emitida por proprietários de imóveis rurais e que poderá ser negociada no mercado de títulos e valores mobiliários. A CIR será registrada em entidade autorizada pelo Banco Central.


Empresas cerealistas terão acesso a financiamento - A medida permite que empresas cerealistas tenham acesso a financiamentos para construção ou expansão de silos e armazéns por meio do PCA - Programa para Construção e Ampliação de Armazéns. Os recursos podem ser usados para financiar obras e comprar máquinas e equipamentos para construção. As operações serão feitas pelo BNDES até 30 de junho de 2020, com taxas de juros subvencionadas pelo Tesouro Nacional. Até junho do ano que vem, serão disponibilizados R$ 200 milhões para financiamentos.


Equalização de taxas de juros - A MP abre a possibilidade de equalização de taxas de juros por todas as instituições financeiras que operam com crédito rural. Antes, era autorizada a bancos públicos federais, bancos cooperativos e confederações de cooperativas de crédito. A ideia é estimular a competitividade entre os agentes financeiros, redução de custos e taxas mais acessíveis para o produtor rural e melhor alocação dos recursos públicos.


CPR e títulos do agronegócio em moeda estrangeira - Por meio da medida provisória, a CPR - Cédula do Produto Rural e os títulos do agronegócio poderão ser emitidos com cláusula prevendo que eles sejam referenciados em moeda estrangeira, como o dólar. O objetivo da mudança é aprimorar o mercado de crédito para melhor atender o produtor rural, dando mais flexibilidade de contratação, transparência e segurança jurídica. (Portal Notícias Agrícolas)



Upbeat Consulting | Upbeat MDC Consultoria Empresarial Ltda.


Integrar esforços e executar transições eficientes entre disciplinas maximizando a performance é o que leva à vitória, tanto no triathlon como nos negócios. Atuamos estratégica e taticamente com foco em capital humano, marketing e vendas. Desenvolvemos soluções integradas que potencializam performance aos nossos clientes em transições de carreira, de informação e de negócios trazendo resultados campeões junto aos seus colaboradores, consumidores e acionistas.


Rodrigo N. Ferraz | rodrigo@upbeatconsulting.com.br | 5511 4200 8327

Ruben D.F. Ferraz | r.ferraz@upbeatconsulting.com.br | 5511 4192 3929



Upbeat Consulting | Headhunting, Vagas Difíceis

Performance em transições de carreira, de informação e de negócios.