Últimas Notícias | 12 de julho de 2021

Ano 14, Edição 044.


“Falar sem aspas, amar sem interrogação, sonhar com reticências, viver sem ponto final.” (Charles Chaplin)


Leia agora em nosso boletim:


Fator essencial para desfrutar o momento presente

Todo mundo é uma potencial vítima de golpes

Syngenta compra distribuidora de insumos no MT

Bioinsumos crescem 28% ao ano no Brasil



Fator essencial para desfrutar o momento presente

Todo o mundo sabe que quando uma coisa se torna escassa, seu preço sobe. E este conceito não se aplica apenas a bens materiais. O tempo, por exemplo, pode ser um bem extremamente valioso, principalmente quando ele se torna escasso. De acordo com uma nova pesquisa, pensar que temos uma quantidade limitada de tempo para participar de uma atividade leva-nos a apreciar a atividade muito mais e nos motiva a dar o melhor de nós mesmos ao realizá-la. O psicólogo Jaime L. Kurtz, do Pomona College, na California, EUA, investigou como nosso comportamento e nossas atitudes com relação a uma atividade mudam quando resta um tempo limitado para participarmos dela.



Aproveitando o tempo restante - O estudo envolveu um grupo de estudantes seis semanas antes do término do seu curso. Cada dia, durante duas semanas, os estudantes escreveram sobre suas experiências na faculdade, incluindo as atividades nas quais eles participaram. O experimento foi projetado de forma que alguns estudantes eram levados a pensar na sua formatura como se ela estivesse ainda distante no tempo, enquanto outro grupo foi levado a pensar na graduação como um evento muito próximo. Os resultados, publicados na revista Psychological Science, revelam que o comportamento dos estudantes foi influenciado pela maneira como a época da formatura era pensada, se ela estava muito próxima ou se seria um evento distante no tempo.


Resultados - Os estudantes que pensaram a graduação como um evento próximo participaram muito mais das atividades da faculdade do que o outro grupo. O professor Kurtz teoriza que, quando defrontados com o fim iminente do curso, os estudantes ficaram mais motivados a aproveitar o tempo que lhes restava na faculdade e participaram de tantos eventos quanto foi possível. O pesquisador também nota que, embora possa parecer contra-intuitivo, essas descobertas suportam a ideia de que "pensar sobre o término futuro de uma experiência pode melhorar a experiência presente." Além disso, Kurtz sugere que a noção de que as experiências são breves e passageiras melhora a sensação no seu desfrute ao criar uma motivação do tipo "é agora ou nunca." (Diário da Saúde)


Todo mundo é uma potencial vítima de golpes

Todo mundo mesmo. Um pesquisador que é literalmente um expert na psicologia dos golpes caiu no maior esquema de fraude financeira da história. A verdade é que todos nós somos potenciais vítimas de um golpe financeiro. "OK, todo mundo cai, mas eu não cairia." É natural pensar que, se você conhece os sinais de um golpe, vai ser fácil identificar ele na vida real. Mas a história depõe contra. Veja o caso do pesquisador Stephen Greenspan, PhD em psicologia, que escreveu em 2008 o livro Annals of Gullibility: Why We Get Duped and How to Avoid It, um ensaio sobre por que somos enganados e como evitar. Dois dias depois de pegar seu livro em mãos, o Dr. Greenspan descobriu que havia sido vítima de um dos maiores esquemas de fraude financeira da história; Ele havia dado seu dinheiro nas mãos do operador financeiro Bernie Madoff, que conduzia um Esquema de Ponzi. Se o Dr Greenspan, literalmente um especialista na psicologia dos golpes, caiu em um esquema fraudulento, todos nós também estamos sujeitos. As pessoas são ruins em perceber quando estão sendo enganadas. O próprio Dr. Greenspan afirmou falou sobre esse fato em uma entrevista à série Explicando, do canal Vox.


O Esquema de Ponzi - Ele funciona basicamente assim: os clientes dão controle a uma pessoa ou empresa para administrar suas finanças, investir e devolver com lucros. Mas, na prática, o fraudador vai usando o dinheiro de novos clientes para pagar os antigos e, na lábia, convence as pessoas a continuarem a investir. Afinal, se muita gente quiser retirar o dinheiro de uma vez, o esquema quebra e é revelado. Foi o que aconteceu com Madoff em 2008. Ele foi preso e condenado a 150 anos de cadeia, mas não sem antes fazer em torno de 37 mil vítimas, desde figuras de destaque, como celebridades de Hollywood, até pessoas comuns, que haviam confiado suas economias de vida a ele.


O medo de perder uma oportunidade - Fator importante na questão de sermos enganados, que se aplica a qualquer tipo de golpe. Golpistas anunciam seus esquemas como algo incrível, que poucas pessoas descobriram até agora, mas que está prestes a estourar e aí vai ser tarde demais pra participar. Criam um senso de urgência, fazendo com que as pessoas ajam antes de pensar. O esquema de Bernie Madoff era extremamente sofisticado, mas fraudes simples podem fazer ainda mais vítimas no dia a dia. Algo tão comum quanto um anúncio de promoção nas redes sociais pode ser um golpe. Você clica, é direcionado para o site da loja, insere seus dados e compra. Só que aquela página era falsa e você acabou dando suas informações para um fraudador, que pode usá-las para se passar por você ou gastar seu dinheiro.


A arte de comer pelas beiradas - Também faz parte da psicologia dos golpes ir ganhando a confiança da vítima bem aos pouquinhos. Pense assim: se alguém te ligar e, de cara, perguntar seu número e senha do cartão você não vai responder, certo? Mas um bom golpista vai fazendo perguntas inofensivas, te ganhando com carisma. Sem perceber, você vai se abrindo. Começa a revelar informações cada vez mais pessoais, como o nome de um bicho de estimação, o aniversário da sua mãe, a rua em que mora… Todas aquelas perguntas comuns usadas para recuperação de senha em sites. Basta uma informação chave no meio de várias outras que parecem inúteis e pronto, o golpista fez sua vítima.


A vergonha e a falta de denúncias - Um estudo da Comissão Europeia revelou que 40% das vítimas de fraudes não contam o que aconteceu para ninguém. A maioria sente vergonha de ter caído no golpe ou deixa de denunciar para a polícia porque sabe que, na maioria dos casos, não há nada que possa ser feito para recuperar seu dinheiro. Com isso, fraudadores conseguem fazer dezenas, centenas e até milhares de vítimas antes de serem pegos.


Tempos difíceis nos tornam mais vulneráveis - Desemprego em alta e pandemia são condições ideais pra fraudadores, porque eles se apoiam em promessas nas quais queremos desesperadamente acreditar. Os ataques de phishing, por exemplo, dobraram em janeiro de 2021 em relação a 2020.


Como se proteger contra golpes - Não há uma resposta ideal, porque golpistas são muito bons em derrubar nossas barreiras, e estão sempre se aproveitando das circunstâncias para encontrar novas iscas. Duas frases são chave para ajudar. Se parece bom demais para ser verdade, muitas vezes não é verdade mesmo. Esses papos de "dobre seus investimentos" ou "ganhe dinheiro sem trabalhar quase nada" são quase sempre chamarizes para esquemas fraudulentos. Nenhuma oportunidade é tão urgente que não valha a pena investigar antes. Não caia nessa de "promoção esgotando", "últimas vagas neste curso imperdível" ou até em um atendente de banco que diz que você precisa passar seus dados ou entregar seu cartão porque ele foi clonado. Não existe vergonha nenhuma em cair em um golpe. Todo mundo pode cair, e falar mais sobre isso é a única forma de espalhar as informações para que menos gente seja vítima no futuro. (Newsletter Fala, Nubank)


Syngenta compra distribuidora de insumos no MT

A empresa multinacional Syngenta Proteção de Cultivos anunciou em 8 de julho, a assinatura de contrato para aquisição da Dipagro, empresa distribuidora de insumos agrícolas, localizada no Mato Grosso. O objetivo da compra é assegurar aos agricultores mais acesso às tecnologias e serviços da Syngenta, em uma região de importante crescimento da agricultura. A Dipagro tem quatro unidades no Estado, em Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, São José do Rio Claro e Sinop. “A Dipagro tem uma sólida história de sucesso construída ao longo dos últimos 14 anos e é reconhecida por sua excelente gestão e ampla base de clientes fiéis”, afirma Juan Pablo Llobet, Diretor Regional da Syngenta na América Latina. Acrescentou ele, que valoriza a relação com seus parceiros de distribuição, que fazem com que os produtos e serviços da Syngenta cheguem aos produtores rurais, a Dipagro sendo uma excelente adição à rede de distribuidores da Syngenta. A transação está sujeita à aprovação pelo CADE - Conselho Administrativo de Defesa Econômica, e os valores da negociação não foram divulgados. (Portal AGROLINK - Eliza Maliszewski)


Bioinsumos crescem 28% ao ano no Brasil

O Brasil ainda não é um protagonista em bioinsumos, mas caminha a passos largos. Segundo uma pesquisa da Spark Smarter Decisions enquanto o mundo segue em uma média de crescimento anual de 15%, o Brasil tem taxas quase o dobro disso, com 28% ao ano, movimentando mais de 1 bilhão de reais por ano. O governo federal trabalha com ações para impulsionar ainda mais o segmento. No ano passado foram registrados 95 defensivos de baixo risco, entre produtos biológicos, microbianos, semioquímicos, bioquímicos, extratos vegetais, reguladores de crescimento. Em relação ao ano anterior, o aumento é de 121% no número de registros. Também foi criado há um ano o Programa Nacional de Bioinsumos para incentivar o desenvolvimento de novas soluções, pesquisas, biofábricas e mais investimentos e aumentar o uso desse tipo de produto. Para atender à crescente demanda por profissionais capacitados em boas práticas de produção de bioinsumos no país, o Ministério da Agricultura lançou em 8 de julho, o primeiro curso sobre produção e controle de qualidade de bioinsumos.


Soluções naturais em defesa da agropecuária - O termo bioinsumos define os processos e tecnologias de origem vegetal, animal ou microbiana destinados ao uso nos diversos sistemas de produções agrícolas, pecuários, aquícolas e florestais, além de estar presente também no armazenamento e beneficiamento dos alimentos. Um exemplo é a utilização de cera de carnaúba em uma nanoemulsão para frutas e legumes, criando uma barreira contra perda de umidade, troca de gases e ação microbiana. O resultado é o aumento em torno de 15 dias no tempo de prateleira dos produtos, evitando perdas e desperdícios de alimentos. A tecnologia foi desenvolvida pela EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Na agropecuária, os bioinsumos podem ser encontrados em produtos veterinários como vacinas, medicamentos, antissépticos, fitoterápicos dentre outros destinados à prevenção, ao diagnóstico, à cura ou ao tratamento das doenças dos animais.


Bioinsumos na soja e construção de biofábricas - O presidente do Conselho Estratégico do Programa Bioinsumos, Alessandro Cruvinel Fidelis, aposta que, se a expectativa de crescimento se confirmar, até a safra de 2022, metade da área planta de soja no país terá recebido, ao menos, uma aplicação de bioinsumos. O Plano Safra 2021/2022 fortaleceu linhas de crédito para o programa Inovagro, com o financiamento para construção de biofábricas. Assim, os produtores poderão conseguir os recursos para aquisição e construção de instalações, implantação ou ampliação de unidades de produção de bioinsumos e biofertilizantes na propriedade rural, para uso próprio.


Agro sustentável e inovador - O projeto nacional de bioinsumos do Mapa também já se desdobrou em incentivo à criação de programas estaduais. O primeiro deles, foi aprovado em Goiás. Os estados de Mato Grosso e o Distrito Federal também começaram a desenvolver seus programas. “Investir nos bioinsumos e pensar estrategicamente na agricultura de base biológica é a resposta que o nosso país dá ao mundo para continuar confirmando que nosso agro é sustentável e inovador”, afirma a ministra da Agricultura Tereza Cristina. (Portal AGROLINK - Eliza Maliszewski)


Upbeat Consulting | Upbeat MDC Consultoria Empresarial Ltda


Integrar disciplinas executando transições eficazes traz a vitória, no triathlon e nos negócios. Desenvolvemos soluções estratégicas que combinam capital humano, marketing e vendas. Maximizamos performance e proporcionamos resultados campeões para nossos clientes junto aos seus colaboradores, consumidores e acionistas atuando na gestão integrada de soluções em transições de carreira, de informação e de negócios.


Upbeat Consulting

Performance em transições de carreira, de informação e de negócios.

+55 11 5199 2919 | www.upbeatconsulting.net


Vamos com tudo!


Rodrigo N. Ferraz | rodrigo@upbeatconsulting.com.br

Ruben D.F. Ferraz | r.ferraz@upbeatconsulting.com.br


Tags: #serviços #tecnologia #alimentos #varejo #aconselhamentoparaqualquermomentodecarreira #vagasdifíceis #headhuntingvagasdifíceis #outboundhiring #boletimupbeatmdc #upbeatconsulting #energiasalternativas #vamoscomtudo #agronegocios #marketingparamarcasempregadoras