Você sabe como lemos o seu currículo?


Artigo com mais de 150.000 visualizações orgânicas no Pulse Linkedin.

É fato: atualmente os processos seletivos andam muito mais lentos e com um contingente muito maior de candidatos concorrendo. Isso requer de nós, recrutadores, ainda mais critério e objetividade ao analisar os currículos que recebemos.


Mas o que faz com que o seu CV seja visto, lido, considerado e não descartado? O que torna o seu currículo qualificado para a continuidade no processo de seleção diante da revoada deles que toma as nossas mesas?


Última experiência Normalmente nós, recrutadores, estamos interessados em saber o status e a situação do profissional, a aderência dele à oportunidade pleiteada e a potencial razão de estar procurando por uma nova oportunidade de emprego. Há quanto tempo você ocupa a atual ou esteve na sua última posição? Por que deseja sair? Foi demitido? Seu último emprego é relevante para a oportunidade em que estou trabalhando?


Empresas conhecidas Sem exageros ou faltas, francamente, isso sem dúvida ajuda. Não é discriminação e nem porque uma pessoa é melhor que a outra (embora alguns profissionais certamente sejam mais destacados). É simplesmente porque isso facilita as nossas referências e porque potencializa a sua credibilidade profissional. Permitem presumir se você atua em grandes projetos, tem multifuncionalidades, veste vários chapéus, por exemplo. Essas associações do nome da empresa (porte, segmento, se é uma startup, ou uma empresa familiar, etc) com os perfis profissionais é muito comum, elementar e normalmente reflete as hipóteses que nós formulamos inicialmente. E isso acontece por nossa observação, por padrões mercadológicos conhecidos e por experiência. Claro, podemos estar enganados, mas lembre-se que estamos olhando você à primeira vista. "E se a empresa em que eu atuo é pequena ou pouco conhecida? E se o meu segmento de trabalho é diferente, tem um nicho específico de mercado, Rodrigo?" Bem, claro, a análise precisa - e naturalmente será - mais profunda.


Experiência de modo geral Existe uma progressão de carreira? É visível o crescimento das suas funções e das suas responsabilidades? Os títulos de seus cargos fazem sentido? São alinhadas ao perfil de busca requerido? Existem lacunas?


Lacunas Desde de que tenham explicações e isso realmente faça sentido, tudo bem. Você tirou um tempo para estudos? Morou fora? Cuidou dos filhos? Seu "plano B que era para ser plano A" não vingou? Explicado. É a ausência de um motivo o que faz a gente pensar. Claro, entendemos que algumas questões possam ser mais delicadas e que você pode não se sentir à vontade em compartilhar. Mas é certo de o “buraco” no seu currículo reflete alguma coisa que você fez naquele período, certo? Seja sempre honesto e criativo - e especialmente justo consigo mesmo - em ilustrar o período de forma que você mostre que entende que a ausência disso poderia gerar dúvidas na sua avaliação.


Educação Faculdades e universidades conhecidas, pós-graduação, MBA, estudou fora? Isso também pode sugerir alguns cenários para a gente, como citei acima. Sua graduação é por uma faculdade nem tão famosa mas a sua pós é bacana, show. Atua ou foi empregado por alguma grande empresa, mesmo com um curso de formação “menos visível” ou atualmente isso já não se alinha tanto com o que você faz? Bem, eu acredito que a sua experiência e o seu histórico profissional podem eventualmente compensar e terem proporcionado para você a bagagem que precisa.


Sites pessoais, blogs, publicações online, perfis em mídia sociais Não são imprescindíveis. Mas se os links estiverem no currículo, provavelmente serão clicados. Veja se estão funcionando e de que sejam alinhados, relevantes ou que possam ilustrar os seus diferenciais de forma eficiente.


Endereço e dados de contato Com a possibilidade das pesquisas online, do Google Maps, do Streetview e por aí vai, não é mais necessário que você descreva o endereço completo. Apenas tenha telefones de contato (ao menos, celular), o CEP, o bairro (se deseja deixar ainda mais clara a sua proximidade física ou facilidade de acesso à empresa) e, obviamente, o seu e-mail.


Ah! Quanto ao e-mail especialmente, cuidado! Evite gracinhas como “edupegador@uol.com.br”, "princesa-linda@yahoo.com” ou “isa_loira@terra.com.br”. Isso pega muito, muito mal. E pode transmitir de tudo menos profissionalismo. Seja informal no seu Facebook. Para o seu CV prefira ser tradicional mesmo. Abra uma caixa de e-mails específica; ou formule o seu endereço pessoal tal como faria para o seu e-mail corporativo. Nome, sobrenome, inicial do nome_sobrenome e formatos assim funcionarão muito melhor.


O mesmo cuidado vale para o nome de arquivo do seu currículo Não mande anexos nomeados como “currículo_v3_finanças.doc”, “CV1_marketing.pdf”. Nós, recrutadores, não precisamos (e não queremos) saber quantas versões fez do seu currículo ou se você tem várias frentes de busca de emprego. Se o seu currículo é apresentado em mais de uma língua, quando muito, deixe claro somente esta diferença.

Esqueça informações como CPF, RG, CNH... No momento oportuno - e normalmente será somente quando você estiver em etapas bem avançadas ou formalizando a sua contratação - isso vai ser pedido. E, provavelmente a esta altura, você já estará comemorando a nova oportunidade.


E nunca coloque foto, a menos que adicionalmente em outro anexo e se expressamente solicitado. Ou ainda, se você estiver pleiteando posições alinhadas como no ramo de TV, eventos, recepção, por exemplo. Mas sempre e somente, se isso for solicitado.


Organização e apresentação geral Isso inclui ortografia, gramática, clareza nas informações, capacidade de apresentar idéias, vocabulário, fluidez de leitura. Revise e atualize o seu CV. Peça para alguém próximo ler e verificar se é coerente, se faz sentido, se está com a leitura fácil.

Em menos de trinta segundos é possível avaliar e selecionar os currículos mais relevantes que, em seguida, serão lidos com mais rigor, separados para a apresentação para o dono da vaga, ou selecionados para entrevistas. E, os que não apresentarem o mínimo acima, inevitavelmente serão descartados.


Formatação de CV “criativa” Olha, nenhuma formatação especial vai compensar lacunas no currículo ou a sua falta de experiência. A menos que a "forma" possa valorizar o que o seu CV mostre de "conteúdo", vamos dar atenção a isso. Embora o currículo permita (e deva, pessoalmente falando) transparecer personalidade, prefira formatações mais tradicionais. E fuja de templates “manjados” do WORD. Salve-o em PDF mantendo-o como no original quando lido (ou eventualmente impresso).


Idade

Há controvérsias. Falando por mim, recomendo que mesmo você achando que “está velho para o mercado”, não deixe de colocar a sua idade (até porque o seu tempo de experiência ou o seu ano de formação vão invariavelmente denunciá-lo). Esqueça os estereótipos e acredite em você. Se você é realmente o que é (e isso é o que a empresa procura em experiência), não é a sua idade que vai descartar você do processo.


Evite:

Auto avaliações “vazias” tipo “sou criativo”, “inteligente”, “team player”, etc Se você realmente tem estas características, elas deverão ser demonstradas através das suas realizações e dos seus resultados. E é a nossa interpretação e o seu avanço para nossos telefonemas e entrevistas que vai nos permitir essa “leitura” preliminar do seu perfil.


Descrever a sua função copiando descritivos de cargo O que queremos ver descrevendo os seus cargos e as sua responsabilidades não é o descritivo do que um “Gerente Contábil” faz (ou deveria fazer), funcionalmente falando. Mas com certeza, como você executa e desempenha as responsabilidades que tem no seu dia-a-dia promovendo os objetivos propostos para a sua função.


Erros de concordância verbal (primeira e terceira pessoas), e concordância nominal

Obviamente e a esta altura, não há muito mais a se falar sobre erros do tipo na apresentação do seu CV. Opte pela descrição alinhada, usando sempre a mesma pessoa verbal, claro. Particularmente, fico mais atento àqueles profissionais que mostram-se em primeira pessoa no seu CV (e não em terceira), dando personalidade e "assumindo" as suas realizações. Traços de arrogância ou prepotência podem ficar evidenciados se houver exagero ou falta de contexto em suas descrições. Mas se você for naturalmente honesto e isso alinhar-se com o seu tempo de experiência e progressão profissional, pode ser um bom indicativo de segurança e de responsabilidade (com você mesmo e com os seus empregadores) - e isso nos interessa.


O currículo é a sua apresentação inicial e "a primeira impressão é a que fica". Não seja inocente: O CV deve provocar o interesse em conhecer você. Portanto, além de cuidadoso e inteligente na sua confecção, mostre-se particularmente objetivo e direcionado ao aplicá-lo.


Boa sorte! E vamos com tudo!

Upbeat Consulting | Headhunting, Vagas Difíceis

Performance em transições de carreira, de informação e de negócios.