Buscar

Você sabe como fazer follow-up à sua entrevista de emprego?


É provável que na conversa o entrevistador tenha informado um cronograma de próximos passos ou uma data para retornar a você. Aguarde o tempo informado e nunca (eu disse nunca) faça follow-up antes desse período.

Tenho comentado com frequência neste espaço sobre dicas e comportamentos que você, profissional, pode ter (e executar) para ficar destacado diante de tantos currículos bacanas e bons profissionais que hoje disputam posições e buscam por uma nova oportunidade.


É certo de que o profissional escolhido, aquele que conquista a vaga é (invariavelmente) aquele quem se coloca de forma mais contundente, profissional, interessada. Ele, esteja certo, se mostra à todo o momento à frente da sua carreira. E do seu passe profissional.


Conseguiu um tempo na apertada agenda do entrevistador para a sua reunião? A vaga é aberta? Você não sabe se há vagas a serem preenchidas? A conversa acontecerá durante um café? Existem muitas coisas simples que você pode fazer para transformar esse “encontro” numa oportunidade única de mostrar-se diferente e mais evidente para uma oferta de trabalho.


Você toma nota da sua conversa?

Sendo uma oportunidade divulgada ou somente o interesse da empresa ou do dono da vaga em conhecê-lo, além das anotações pertinentes ao potencial desafio, a primeira coisa que você pode (e deve) fazer é anotar as informações relevantes da conversa, incluindo o que correu bem e o que correu mal no encontro. Tome nota dos pontos que acredita terem destacado você perante o entrevistador. Você também, claro, deve anotar as questões e preocupações dele, entre outras informações que foram discutidas, para a sua auto análise e reflexão.


Fora estar diante de um potencial desafio em apresentação, o momento certamente é uma oportunidade de ampliar a sua rede de relacionamento profissional. Verifique a abertura do seu interlocutor para isso e estabeleça o contato de forma mais “comercial”, mostrando que não está lá somente para ser “ajudado”. Ele lhe permitindo, troque cartões.


Envie uma mensagem de agradecimento

Mostre que valoriza o seu tempo e o tempo do seu interlocutor. Agradeça por e-mail a oportunidade de terem se reunido. Aproveite a oportunidade para lhe enviar o currículo, algum "lead", ou outro material que tenha sido discutido e combinado no encontro. Se foi o caso de terem debatido algo mais específico, compartilharam algum assunto que você conheça com mais profundidade e a sua informação possa entregar valor, é uma boa oportunidade de acrescentar também um artigo que você já havia escrito, convidá-lo a conhecer o seu blog ou transmitir lembranças de pessoas comuns às suas redes de contato, se pertinentes ao tema abordado, relevantes para o assunto em questão e se não ferir a discrição e a confidencialidade que o momento requer.


Saber a hora de parar

É provável que na conversa o entrevistador tenha informado um cronograma de próximos passos ou uma data para retornar a você. Aguarde o tempo informado e nunca (eu disse nunca) faça follow-up antes desse período.


O retorno não aconteceu no prazo?

É hora de ser assertivo e inteligente. Entenda que nem sempre a preocupação do dono da vaga se limita ao assunto ou à oportunidade informada (estando aberta ou sendo alguma demanda latente). A única pessoa que está com o pensamento exclusivo nesta questão é você. Dessa forma, o atraso pode estar justificado e não significa que deixará (ou deixaria) de ser feito. Aguarde dois ou três dias da data combinada e faça você ativamente o follow-up. Agradeça novamente pela oportunidade e delicadamente relembre-o de que você está aguardando e tem interesse em receber feedback.


Para este segundo acesso, pessoalmente, acredito e sugiro ser feito por telefone ao invés de e-mail. Isso se você trocou cartões na conversa inicial e estabeleceu uma relação profissional - tendo obtido abertura para isso. Por voz, potencialmente, obterá uma resposta mais concreta e poderá interpretar mais conclusivamente o interesse do entrevistador norteando mais seguramente os seus próximos passos.


Se nesta segunda tentativa não obtiver retorno, não desanime. E não insista. Pode ser que o interesse despertado não seja imediato ou a demanda anteriormente informada tenha sido sanada por outro recurso. A culpa não é sua. Invista, portanto, o seu tempo e converta essa energia novamente em novos acessos e agendamentos. Estar à frente do seu passe só depende de você.


Boa sorte! Vamos com tudo!

Upbeat Consulting | Headhunting, Vagas Difíceis

Performance em transições de carreira, de informação e de negócios.