Buscar

Quem pilota a sua carreira?


Você pilota a sua carreira?

Há muito tempo venho lendo relatos de profissionais sentindo-se indignados com a falta de respeito de entrevistadores que não lhes dão feedback sobre suas entrevistas e sobre a sua participação em processos seletivos.


Mas... espera aí: o seu passe profissional está na mão de quem? Do entrevistador? Da empresa? Quem pilota a sua carreira? Desculpe, candidato: o seu respeito próprio e suas prioridades precedem (ou deveriam preceder) a essa reclamação.


Eu também acho a falta de feedback ruim. Mas antes dos julgamentos, abra os seus olhos: quem determina quanto tempo esperar pelo posicionamento é você. Quem disse que a prioridade do entrevistador é exclusivamente o seu passe? Ou que a única preocupação dele é o processo seletivo que você está participando? Se a prioridade da empresa não é você (e sabemos, não é), a sua deve ser única e exclusivamente essa!


Troque essas respostas por começar a se fazer perguntas, tipo: "sou especialista em atividades A, B e C, compatíveis com processos na empresa X, no negócio Y, para a empresa Z. Quem nestas estruturas conhece as demandas para as quais posso ser resposta e DECIDE pela contratação?


Enfim, quem é o chefe da equipe onde você quer ser o piloto?


Vou ilustrar meu ponto com uma pequena história: há alguns anos tive meu carro roubado. Na ocasião, meu sobrinho tinha uns 4 anos e me vendo chateado, me disse: “Tio Rô, amanhã a gente vai no shopping e compra outro, tá?”. Naquele momento, apontava um anúncio que tinha nas mãos, com um modelo esportivo, cheio de trique-triques. João estava sereno e confiante, típico de quem tinha a solução para o meu problema. Eu então perguntei: “João, o que a gente precisa pra ter esse carro aí?”. E direto, com muita surpresa no rosto, o pequeno prontamente respondeu: “Ah! Tio Rô... a chave!”.


E não é que ele está certo?


Culpar o entrevistador e a empresa é manter seu motor engasgando em autopiedade, especialmente se você não engatar uma segunda e perceber que pode ir além do que só responder ao que é publicado. Além disso, nem sempre o RH tem a chave do bólido... Já pensou nisso?


Aperte o cinto, ajuste os retrovisores. E acelere: tem uma série de coisas que você precisa fazer nesse momento que aumentam sua octanagem, te colocam no volante da sua carreira e ajudam a tirar você dos boxes mais rápido do que você pensa. Uma delas é procurar estabelecer contatos diretamente com quem seria o seu chefe em potencial na estrutura, estratégia complementar mais fácil, acessível e eficiente do que, em princípio, pode parecer.


Vamos acelerar essa discussão? Não freie os seus comentários, ficarei feliz se puder ajudar você a colocar o seu motor no ponto e ser o seu navegador com estas e outras dicas de carreira e visibilidade profissional.


Um abraço e vamos com tudo!

Upbeat Consulting | Headhunting, Vagas Difíceis

Performance em transições de carreira, de informação e de negócios.